Crumble super saudável de maçã e ameixa

thumb_IMG_4846_1024_Fotor

Este crumble não tem uma costa dura e consistente porque não leva farinha nem manteiga. É quase como uma granola por cima de fruta assada. Mas fica maravilhoso! A aveia fica crocante graças ao açúcar de coco e mistura-se com a fruta que se derrete na boca. É uma sobremesa que faz bem e é uma delícia!

Quando fiz este crumble ainda havia imensas ameixas. Neste momento já estão fora da estação por isso pode substituí-las por pêras ou fazer só de maçã.

thumb_IMG_4848_1024

Para 2 pessoas

Para a cobertura

  • 2 chávenas de aveia fina
  • 2 colheres de sopa de óleo de coco (não precisa de derreter se estiver duro)
  • 2 colheres de sopa de açúcar de coco
  • canela qb

Para o recheio

  • 10 ameixas
  • 1 maçã
  • canela qb
  • passas

Corte a fruta aos pedaços e coloque-as num recipiente refractário. Junte a canela e misture.

 

Misture a aveia, o óleo de coco, o açúcar de coco e a canela até ficar arenoso e o óleo estar completamente incorporado. Coloque esta mistura por cima da fruta e leve ao forno a 200ºC por meia hora.

Daí a 15 mn já vai sentir o cheirinho maravilhoso!

Na luta contra a Obesidade Infantil

20151110_102653_Fotor_Collage1_Fotor

O primeiro passo foi partilhar receitas fáceis, simples e saudáveis. Criei este blog com esse objectivo. Feito.

Depois criei uma empresa com uma fábrica que faz comida/salgadinhos/bolos mais saudáveis (e, claro está, deliciosos!), uma alternativa à tonelada de comida muito pouco saudável que está disponível em todo o lado. Feito. Mas ainda há muito caminho por trilhar.

Mas não chega. Sei que a educação alimentar é fundamental para se poder fazer as escolhas certas. E por isso decidi fazer uma investida contra a obesidade infantil, que ataca 1 em 3 crianças em Portugal. Criei a Responsabilidade Social do The Love Food e comecei esta luta com os pequeninos do infantário da Santa Casa da Misericórdia de Xabregas. Fizemos alternativas para snacks e todos puseram a mão na massa. Depois de cozinharmos estivermos a brincar, que é aquilo que eu sei fazer de melhor 🙂

Não há caras mas há estas mãozitas fofinhas. Saí de coração cheio, e venham mais! Já estou cheia de saudades dos pequeninos todos!

20151110_102653_Fotor_Collage_Fotor

Happy Green Hour em Cascais

IMG_4461

 

É já no próximo Domingo 15 de Novembro a segunda edição da maravilhosa Happy Green Hour! Vamos estar em Cascais, na House of Wonders, das 16 às 19h e o valor de inscrição são 10,00€. As inscrições devem ser feitas para o email happygreenhour@gmail.com e já há poucos lugares!!

Eu a querida Sandra Cóias vamos dizer-lhe tudo o que sempre quis saber para ter uma alimentação e uma vida mais saudável, vegana, ecológica e happy! Tudo descomplicado, prático e fácil de fazer, como deve ser!

Temos imensas surpresas dos nossos incríveis sponsors! São eles:

House of Wonders (espaço incrível, comida incrível e um ambiente maravilhoso!)

SAPATO VERDE

MeLuna Portugal

Greendet

Círculo Bio

Vai ser maravilhoso! E ainda… um lanche vegano para todos os participantes degustarem.

Melhor é impossível.

Há poucos lugares!! Inscreva-se para happygreenhour@gmai.com!

Mais infos em https://www.facebook.com/Happy-Green-Hour-Conversas-orgânicas-1017197331632289/timeline/?ref=hl

Vemo-nos lá?

 

 

 

 

Sobre a carne cancerígena

thumb_IMG_4074_1024

 

A OMS veio agora dizer que a carne processada e, provavelmente, as carnes vermelhas, são cancerígenas. Não deixa de ser curioso haver tanta consternação quando estudos de 2006 da FAO já afirmavam que 75% das doenças da sociedade actual se deviam ao consumo excessivo de proteínas de origem animal. Este estudo tem quase 10 anos. A única coisa que não diz expressamente é “cancro” ou “carne”, mas diz “doenças” e “proteína animal”, que é praticamente a mesma coisa.

Os portugueses acham, em geral, que comem carne com moderação. O que significa que comem (acham eles) pelo menos uma vez por dia carne. Mas se juntarem o pão com fiambre ao pequeno-almoço, o cozido do almoço e a empadinha ao lanche já lá vão 3 vezes e ainda são poucas. Comer com moderação não é um hábito português.

Também não deixa de ser curioso que um alimento (ou pseudo-alimento) que é considerado tão cancerígeno como o tabaco seja encarado com tanta leviandade. Se alguém viesse dizer que fuma com moderação toda a gente acharia que era ridículo e pensaria “mais cedo ou mais tarde é um cancro no pulmão”. Contudo, com a carne não tem problema, desde que seja com moderação.

O que este estudo veio fazer, no fundo, foi pôr as pessoas a comer mais frango. Já se acha, em geral, que as carnes brancas são melhores para a saúde, porque, dizem, têm menos gordura. O que não se sabe é que estão a comer a carne que mais hormonas tem, carregada de antibióticos, de animais que vivem nas condições mais deploráveis e nojentas que existem. Condições essas tão horrendas que os tornam doentes desde que nascem, a precisar de antibióticos para sobreviverem e hormonas para crescerem rápido.

E, de repente, há pessoas IMUNES A ANTIBIÓTICOS e não se sabe porquê. Aparece uma bactéria chamada multirresistente a matar pessoas em hospitais do nosso país. Não é na conchichina, é ao lado da nossa porta. São pessoas que, por tomarem antibióticos, ficam imunes aos tratamentos. São episódios que já aconteceram noutras partes do mundo, e  razão é sempre a mesma, embora ocultada: os antibióticos presentes em grandes quantidades na carne.

Todas estas hormonas e antibióticos só podem ser prejudiciais à saúde humana. E estão vocês a pensar: será que ela tem razão? Será que é mesmo assim?

Imaginem lá: uma pecuária gigante. Vão imediatamente pensar em 10 vaquinhas a pastar num prado com uma casinha ao fundo. Errado. Os animais são criados em espaços fechados, crescem dentro de cubículos onde não se conseguem mexer. Comem ração feita com soja transgénica (que, por sua vez, destruiu florestas para ser plantada). São animais com níveis de stress altíssimos (sim, os animais também têm stress). Adoecem e tomam antibióticos para se manterem vivos. Tomam medicamentos para engordarem mais rápido, crescerem mais rápido, para poderem ser mortos mais rápido e irem para o supermercado mais rápido. A carne é tão má, com a mistura de ração barata geneticamente modificada, medicamentos e falta de movimentos (atrofia muscular) que é necessário colocar mais químicos e corantes para que seja apetecível e se mantenha com uma cor “natural” até chegar a casa das pessoas. E notem: os químicos usados na carne na agricultura biológica são exactamente os mesmos, não se iludam.

Que história é essa de comer com moderação? Não há qualquer necessidade de comer carne, não existe qualquer fundamento para se continuar a alimentar esta indústria que não só é a que mais polui o planeta, a mais cruel e a que mata, lentamente, quase todos a quem alimenta.

Não tomem este meu post por panfletário ou o meu lado activista. Poderia tê-lo escrito com mais frieza e de forma mais científica e cautelosa, como quase sempre faço. Vejam o lado positivo, as alternativas, a saúde, energia e vitalidade de quem não come carne. Sobretudo pesquisem, leiam, informem-se mais. Os comentários que ouço sempre são baseados na experiência, são “eu sempre comi e ainda não morri”. Pois não, ainda não. Mas não só se está a preparar para passar várias horas no médico, vários dias a tomar comprimidos (muitos para a vida inteira), como está a contribuir para a devastação do planeta e para uma vida terrível e morte injustificada de milhões de animais por dia.

Pese a sua decisão. Partilhe com as suas pessoas mais próximas. Adopte um estilo de vida mais saudável. Abra essa cabeça!

Testei: sabonete líquido Dr. Bronner

 

 

IMG_2793

E vai que adorei! Tinha acabado de mudar de casa quando o sabonete chegou. Achava eu que precisava de 50 mil detergentes diferentes. Dava por mim a pensar “tenho de dar banho aos cães mas não tenho champô… Dou amanhã. Ah, espera, será que o sabonete dá?” E dava! Usei-o praticamente de todas as 18 maneiras e funcionou sempre super bem. Fiquei fã! Sobretudo para quem não tem muito espaço é óptimo, são 18 detergente diferentes num frasquinho mínimo. Para além de poupar dinheiro (rende imenso!) está a usar um multiusos BIO e vegano.

O frasco é bastante pequeno mas só precisa de algumas gotas para o efeito que pretender.

Adeus toneladas de detergentes, frascos, garrafas. Basta um! Aconselho-vos vivamente a experimentar e tenho a certeza de que não irão usar outra coisa! O aroma é óptimo e é feito à base de óleos essenciais de origem BIO.

Se quiserem mais informações ou comprar encontram aqui: http://www.circulobio.pt/loja-dr-bronner-s-portugal-soaps

 

E não se esqueça que as nossas escolhas fazem toda a diferença. Se todos comprarmos detergentes ecológicos, por exemplo, a uma empresa de referência que se rege por princípios justos, ecológicos, veganos e éticos como o Círculo Bio, estamos não só a fazer com que esta empresa cresça mas também a empresa Dr Bronner, que se rege pelos mesmos princípios, e a empresa BIO que faz os óleos essenciais para essa empresa, e por aí adiante. Ao usarmos os detergentes ecológicos não estamos a poluir as águas do planeta, diminuímos a nossa pegada e estamos a fazer a escolha mais saudável para nós próprios. É uma cadeia de valor que faz, verdadeiramente, mudar o mundo! Faça a sua escolha!

Veja aqui os 18 multiusos deste incrível sabonete:

1. Limpeza Facial: deite 2-3 gotas nas mãos molhadas, aplique no rosto molhado.

2. Gel de Banho: deite uma pequena quantidade na esponja e aplique.

3. Champô: deite uma pequena quantidade de sabonete liquído Dr Bronner na mão, aplique no cabelo molhado, ou dilua ½ colher de sopa em ½ chávena de água e aplique no cabelo molhado. Enxague (sugestão após a lavagem enxague com uma solução ácida como por exemplo vinagre de sidra diluído em água ou sumo de limão).

4. Banho de imersão: depende da quantidade de água, deite 2 colheres de sopa (aproximadamente) de sabonete liquído Dr. Bronner na banheira.

5. Depilação: axilas – 3 gotas; Pernas – ½ colher de chá; Deite nas mãos molhadas, faça espuma e aplique na área a depilar. Para barbear – 10 gotas.

6. Lavar os dentes: 1 gota na escova de dentes.

7. Banho de pés: 1 colher e ½  de chá numa bacia com água quente.

8. Aliviar a congestão: 1 colher de sopa numa bacia com água quente. Cubra a cabeça e a bacia com uma toalha, feche os olhos e inale o vapor

9. Lava loiça: Diluir 1:10 e deitar na esponja.

10. Lavar a roupa: 1/3-1/2 chávena de sabonete líquido Dr. Bronner para uma máquina com carga máxima. Adicione ½ chávena de vinagre ao ciclo de enxaguamento.

11. Lavar o chão: ½ chávena de sabonete líquido Dr. Bronner em aproximadamente 10 litros de água quente.

12. Limpeza superfícies/multiusos: Encha um frasco spray com 1 litro de água e adicione ¼ chávena de sabonete líquido Dr. Bronner. Junte ¼ colher de chá de óleo essencial de árvore do chá (opcional).

13. Limpa vidros e janelas: Encha um frasco spray com 1 litro de água e adicione 1 colher de sopa de sabonete líquido Dr. Bronner. A seguir utilize água com gás ou uma mistura metade vinagre/metade água.

14. Limpeza sanitária: adicione ¼ chávena de sabonete líquido Dr. Bronner a um litro de água. Adicione ¼ colher de chá de óleo essencial de árvore do chá.

15. Lavar frutas e vegetais:  ¼ colher de chá (aproximadamente) numa bacia com água. Mergulhe os vegetais/frutas. Enxagúe com água limpa.

16. Champô animais: Depende do tamanho do animal e do pêlo. Molhe o cão e aplique algumas gotas de sabonete líquido de Dr. Bronner.

17. Spray plantas (para afastar os insectos): Adicione 1 colher de sopa de sabonete líquido de hortelã-pimenta Dr. Bronner a 1 litro de água. Junte ½ colher de chá de pimenta cayenne ou canela (opcional).

18. Spray para afastar as formigas: Adicione ¼ chávena de sabonete líquido de árvore do Chá Dr. Bronner a 1 litro de água. Atenção esta mistura não é para ser utilizada em plantas.

Sabonete-Líquido-Dr.-Bronner’s-Magic-Soaps-01-620x344

 

http://www.circulobio.pt

Entrevista Zen Energy e Vegan Fair

Cá vai a entrevista feita para a Revista Zen Energy e para a Vegan Fair. Espero que gostem e que seja interessante! Conto um pouco do percurso do The Love Food até hoje e um bocadinho de mim. Desculpem o meu ar cansado e olheirento, mas tenho um bebé em casa fascinado por tudo e que acha que não deve dormir para não perder pitada. Apesar disso estou super feliz pelo convite e por estar para aqui a falar destas coisas que me apaixonam. A entrevista inteira vai sair na revista ZEN ENERGY de Novembro!

TAG – Conhecendo Novos Blogs

 

thumb_IMG_3959_1024

 

A Joana do Just Natural, Please convidou-me para responder a esta TAG – Conhecendo Novos Blogs. O objectivo é dar a conhecer outros blogs e, ao mesmo tempo, conhecerem que está por detrás de cada blog um bocadinho melhor. Espero que gostem e obrigada, Joana!

1.O que te levou a começares este blog?

Criei o blog The Love Food em Junho de 2010. Na altura não havia blogs sobre comida vegana/vegetariana em português e tive muita vontade de partilhar receitas e desmistificar preconceitos que existiam (e existem) em relação à alimentação vegana e saudável. Foi, antes de mais, um enorme desejo de partilha.

2.Qual a origem do nome do teu blog?

Quis que estivesse, de alguma maneira, relacionado com amor. Quando comemos, quando fazemos comida para os outros, quando fazemos escolhas a pensar no bem que fazemos, é um acto de amor próprio e pelos outros. E o veganismo é, de facto, um acto de amor e de extrema sensibilidade para com os outros, pelo planeta e pelos animais. Não poderia deixar de ser The Love Food.

3.O que de melhor o blog tem trazido para a tua vida? Porquê?

O blog mudou a minha vida. Eu era actriz. Neste momento tenho uma fábrica que produz delicias veganas e saudáveis e que distribuo para o país todo. Não teria sido possível sem ter criado o The Love Food. Se me dissessem há 5 anos atrás que a minha vida seria como é não iria acreditar. É a partilhar a palavra, ensinar as pessoas a comer melhor, dar-lhes comida boa, honesta, feita com bons ingredientes que acredito ser possível mudar um bocadinho o mundo. E isso faz-me dormir muito bem.

4. Como concilias a tua vida pessoal e profissional com o Blog?

Neste momento não consigo. Quando comecei o blog estava a terminar um mestrado, trabalhava em várias companhias de teatro, fazia televisão e trabalhava numa empresa de investimentos. Alimentava o blog com receitas, dicas e videos pelo menos duas vezes por semana. Hoje tenho um bebé e uma fábrica a todo o gás, cozinho menos e o meu tempo livre desapareceu. Infelizmente, se conseguir postar uma receita por mês é milagre 😀 Mas vêm aí surpresas que já estou a preparar há meses! De qualquer maneira o feedback dos leitores tem sido sempre maravilhoso, e o The Love Food tem já uma “bagagem” de informação e receitas que nunca vão passar de moda!

5. Onde encontras inspiração para os conteúdos do teu blog?

Em todo o lado. Tenho uma enorme biblioteca de livros de culinária, adoro livros. A blogosfera também é uma inspiração enorme. Mas o que mais me inspira é ir aos mercados e quintas, comprar legumes e fruta da estação. A minha cabeça fica a mil, magico logo imensas receitas.

6. O que mais gostas de cozinhar?

Neste momento sopas e papas! Gosto muito de fazer o jantar, é a minha refeição preferida. Também gosto muito de inventar bolos. Gosto muito de cozinhar, ponto.

7. Como imaginas o teu blog daqui a 3 anos?

Quero apenas que continue a ser inspirador e que leve as pessoas a ter uma vida melhor, mais saudável, mais ética e mais ecológica.

8. Quais são os hábitos diários que não dispensas?

Não tenho hábitos, adapto-me facilmente às circunstâncias. Mas há várias coisas que tenho de fazer para me sentir feliz: beijos e mimos ao meu homem, ao meu bebé e aos meus cães. Não dispenso.

9. Quais os teus conselhos para uma vida saudável?

Ter uma alimentação 100% vegetal, fazer exercício e não perder o prazer de comer. Comprar produtos da estação, de produtores locais e evitar refinados. Fugir de dietas estranhas e de ingredientes com nomes impronunciáveis: se não os conseguimos ler também o nosso corpo não os reconhece!

10. Se pudesses mudar algo no mundo o que seria?

Que toda a gente se tornasse vegana. Dizem que seria uma catástrofe, que não haveria comida para toda a gente, mas isso é uma falácia. Catástrofe é o que está acontecer hoje: a industria pecuária polui mais do que todas as indústrias, o aquecimento global sente-se todos os dias graças a isso, florestas são dizimadas para plantar cereais para ração para o gado, as pessoas morrem de doenças incuráveis ligadas ao consumo excessivo de químicos usados na indústria pecuária e na agricultura assim como por excesso de consumo de proteína animal. As farmacêuticas ficam felizes por venderem cada vez mais químicos para usar na agricultura e pecuária e medicamento para tratar as pessoas doentes que os comem. Milhões de animais são dizimados e explorados todos os dias. Se os cereais plantados para ração fossem para consumo humano não existirira fome no mundo. Ninguém existe para usufruto de ninguém. Um mundo vegano seria perfeito, saudável, equilibrado e compassivo.

Os blogs que marco com esta tag para responderem a estas perguntas são:

Universo dos Alimentos – http://universoalimentos.blogspot.pt

Compassionate Cuisine – http://compassionatecuisineblog.com

Green Food – http://greenfoodveg.blogspot.pt

Instruções para participar nesta TAG:

1 – Responder às perguntas realizadas por quem te nomeou publicando um post no seu blog;

2 – Podem criar 10 perguntas diferentes ou apenas algumas ou usar as mesmas;

3 – Marcar 3 a 10 pessoas para responderem a essas perguntas e, claro, avisá-las da nomeação.

E as perguntas são:

1. O que te levou a começares este blog?

2. O que de melhor o blog tem trazido para a tua vida? Porquê?

3. Como concilias a tua vida pessoal com o Blog?

4. Que ferramentas usas enquanto blogger (máquina fotográfica, evernote, programa de edição de imagem…)?

5. Onde encontras inspiração para os conteúdos do teu blog?

6. O que te faz manteres-te motivada e seres consistente no teu trabalho de blogger?

7. Como imaginas o teu blog daqui a 3 anos?

8. Quais são os hábitos diários que não dispensas?

9. Quais os teus conselhos para uma vida saudável?

10. Se pudesses mudar algo no mundo o que seria?

You might also like

Fare Healthy – Londres 2015

É importante ir ver o que os melhores fazem para encontrar inspiração. Ver novas tendências e provar o que de melhor se faz é essencial para se ser melhor.

Foi por isso que fui a Londres, a Fare Healthy foi um excelente aglomerado de gente super interessante com projectos, empresas, livros e blogs de excelência.

Querem vir comigo? Aqui vai a foto reportagem!

 

thumb_IMG_4812_1024

Vamos entrar?

thumb_IMG_4755_1024

Workshop de culinária com o David do Green Kitchen Stories

 

thumb_IMG_4756_1024

Brownies feitas pelo David.

thumb_IMG_4758_1024

Dicas para fotografar comida para o blog: o chão é um excelente sítio!

 

thumb_IMG_4759_1024_Fotor_Collage

Nem vos conto tudo o que comi. Obviamente foi só por razões de pesquisa 😀 O hambúrguer do Ceviche era feito com uma mistura de quinoas e o molho era maionese de kiwi. Foi, provavelmente, o melhor hambúrguer da minha vida. Em baixo a t-shirt da Beyoncé a preços loucos, as irmãs Hemsley a fazerem espaguete de legumes e o Nana… o Nana é o gelado mais cremoso de todos os tempos, feito com bananas, abacate e morangos. Dizia “guilt free”, tive de provar uns tantos.

thumb_IMG_4764_1024

Um arranjo lindo no centro das mesas! E uma pizza raw que me fez duvidar de todas as pizzas que já comi: incrivelmente deliciosa e suculenta! O queijo que vêem é de amêndoa e era uma maravilha.

thumb_IMG_4767_1024_Fotor_Collage

Os meus companheiros Healthy e os crumbles da Livia’s Kitchen que já tinham esgotado quando cheguei, infelizmente. O chef do Ceviche a fazer coisas bonitas e as t-shirts da Deliciously Ella muito peace and love <3

thumb_IMG_4784_1024

A Ella Woodward da Deliciously Ella, um dos meus blogs preferidos do momento, a meio do workshop sobre comida saudável.

thumb_IMG_4748_1024

Várias receitas para testar em casa. Para além do carregamento de livros que trouxe 🙂

 

You might also like

1 2 3 4 5 39

copyright (c) The Love Food - Maria de Oliveira Dias - all rights reserved