Os poke bowls que fazemos em casa tornaram-se um dos nossos jantares preferidos, por várias razões. É simples de fazer, é delicioso, esvazia o frigorífico porque é ótimo para usar restos e faz-se num instante! Um bom poke bowl é cremoso, crocante, ácido, doce, salgado, tudo ao mesmo tempo, ou seja, uma onda havaiana de sabores na boca.

Estes “bowls” são um exemplo perfeito do que um prato saudável deve ser. Muitos legumes, de todas as cores e feitos, sempre da estação e se possível de produção local, já agora de produção sustentável (bio, de permacultura ou agricultura biodinâmica), proteína de origem vegetal, fruta, cereais integrais (não usei aqui, shame on me), e muito sabor. 

Vejam a “pirâmide” dos alimentos lançada pela Universidade de Harvard e que está bem de acordo com esta premissas. Ao contrário da pirâmide portuguesa, não tem queijinhos, bolachas Maria e outras coisas desnecessárias:

Vamos aos poke bowls.

Os poke bowls vêm do Havai e têm inspiração japonesa e outras cozinhas asiáticas. Por isso todos os sabores como molho de soja, óleo de sésamo, algas, lima, cebolinho etc. funcionam muito bem.

Este poke bowl específico serve para vos dar ideias das potencialidades que podem fazer com o que têm à disposição e com a vossa criatividade. Usei:

  •   Abacate português (irei escrever sobre o abacate brevemente, me aguardem)
  •  Cebola roxa (coloco em sumo de limão ou lima durante 10 mn a uma noite – ou até uns dias – para não ficar com hálito de meias velhas)
  •  Cornichons ou qualquer pickle que goste
  •  Gengibre em pickle (um vício…)
  •  Manga ou outra fruta, preferencialmente da estação e de produção local (sim, blame on me, poderia ter posto morangos)
  •  Cebolinho fresco picado
  •  Canónigos  
  •  Arroz basmati (cozi apenas com água e sal) (pode ser qualquer cereal, se possível integral)
  •  Tofu – salteei com azeite e depois juntei molho de soja, água, vinagre de arroz e açúcar mascavado e deixei cozinhar até o molho evaporar.
  •  Pepino – temperado com molho de soja e vinagre de arroz (experimentem, fica uma maravilha)

Depois é só montar o prato como mais gostar!

Como um Buddha bowl, para que seja completo aconselho a que:

Tenha uma base de arroz, arroz integral ou outro cereal integral

Proteína: pode ser tofu, mas também qualquer leguminosa: edamame, feijão, ervilhas, etc.

Metade do prato de legumes, crus, cozinhados, o que quiser

Ervas frescas para dar sabor

Temperos como gostar 

Pickles, porque os fermentados são sempre maravilhosos para alimentar a flora intestinal! Se possível feitos em casa (eu prometo que vos ensino a fazer aqui).

Experimentem fazer esta espécie de poke bowl em casa, e experimentem manter esta base de Harvard para o vosso dia-a-dia. Vão ver que a vossa energia vai rebentar explodir sacudir abalar!

Subscreva a newsletter

Receba todas as novidades do blog no seu email.

Ao marcar essa caixa, você confirma que leu e concorda com os nossos termos de uso em relação ao armazenamento dos dados enviados por meio deste formulário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*