IMG_0500_Fotor

Existem maneiras de comer saudável sem ter que pagar muito caro, comprando ingredientes aqui e ali, de maneira a poupar e a variar. O supermercado chinês é uma boa opção porque tem muitas coisas que, infelizmente, não se consegue encontrar de origem biológica/orgânica, mas que, mesmo assim, são incrivelmente caras no Celeiro e nos hipermercados. Confesso que alguns preços das lojas de produtos naturais me revoltam.

O meu supermercado preferido chama-se Chen e fica logo no início da Av. Almirante Reis de quem vem  do Martim Moniz. É o primeiro (a seguir há outro) do lado direito de quem sobe. Não tem só ingredientes chineses, tem ingredientes asiáticos – tailandeses, coreanos, japoneses, vietnamitas, etc.

IMG_0472_Fotor

O mais aborrecido deste supermercado é conseguir resistir a experimentar tudo de uma vez. Saio sempre de lá cheia de sacos quando só ia buscar massa de arroz ou soba. Outra coisa aborrecida é que se tem de ler os rótulos todos para se perceber o que é cada coisa, e muitas vezes nem os rótulos ajudam… Mas quem é vegano passa a vida a ler rótulos e já tem uma visão especial para detectar ingredientes estranhos, por isso não é nada de mais.

IMG_0473_Fotor

-É mais barato, definitivamente. O óleo de coco (não Bio) vem da Tailândia e custa cerca de 5€. A vantagem é não saber a coco, por isso pode ser usado para cozinhar em vez do azeite ou do óleo convencional.

-Para quem é viciado em sushi (vegano, claro) pode achar que entrou no paraíso. As algas Nori (e outras, como Wakame) são uma pechincha e podem vir em embalagens de 100…

– Pode experimentar vários legumes e frutas diferentes (as couves Pak-Choi são uma delícia)

-Existem muitos produtos sem glúten, nomeadamente 50 mil variedades de massa de arroz

– a maior parte dos produtos tem uma etiqueta que diz SEM OGM

IMG_0474_Fotor

– o tofu (costumo comprar o “duro”) é o melhor tofu que alguma vez provei. Tomem nota, Provida e Shambala! E nem falo da Cem Porcento, porque o tofu e o seitan deles é quase um insulto (acho que consigo fazer umas solas para os sapatos com uma fatia do seitan deles e escalar o Evereste inteiro com as solas de seitan calçadas). E tem vários tipos de tofu diferentes.

– tem comida pronta vegana congelada, como crepes e raviolis chineses (os raviolis ficam incríveis na sopa de miso). Para quem quer despachar um prato rápido é bom.

– tem mock meat enlatada. O que é mock meat? É carne, mas vegana. Segundo ouvi dizer (nunca provei) é IGUAL, só que é tudo seitan. Há de porco e de pato, em diferentes variedades. O de pato tem a pele a imitar a do pato e tudo. Para quem gostar ou quiser dar comida vegana a uma família esquisita que se recusa a provar tofu e tudo que seja verde, esta é a vossa oportunidade.

– pode trazer 1 kg de miso por uma pechincha. E 1 kg de miso dá para muito tempo. Guarde-o no frigorífico!

IMG_0476_Fotor

– tem a oportunidade de ver rótulos de embalagens super engraçados.

– pode fazer um jogo para ver quem encontra mais erros ortográficos nos rótulos (acho que eles usam o Google Translator para fazer as etiquetas)

– tem imensas sementes (sésamo branco, sésamo branco, etc. etc. etc.) e alguns cereais, como millet e leguminosas que dificilmente se encontram noutro sítio.

É, definitivamente, uma opção interessante para comprar alguns produtos e variar o menu!

Total
3
Shares

15 comments

  1. Bem,que maravilha. Eu faço verdadeiras maratonas para encontrar esses ingredientes. Desde que descobri o lidl, tenho comprado mais variedade a preços simpáticos. A couve pak choi é batatinha e as sementes também. As algas, só encontro no jumbo. Uma embalagem de 10 custa 3 euros. Quanto ao tofu, costumava comprar no continente, mas pagava 4 euros por cada embalagem. Deixei de comprar e, entretanto descobri um mini mercado encantador onde consigo comprar a mesma quantidade por metade do preço, e ainda biológico. Quanto ao seitan, faço em casa quando tenho tempo e vontade (que ainda consome algum tempo). Mas isto para explicar que não é de facto fácil ser vegan num país como o nosso. Obrigada por partilhar connosco estas maravilhas. 🙂

  2. No fim de semana passado fui ao supermercado chinês em frente ao centro comercial da mouraria, já não consegui ir ao chen porque comprei imensa coisa.
    Provei o tofu mole (fiz tofu com broa), achei muito bom nem vou falar no preço já que comprei 2 embalagem pelo preço que comprava um no celeiro ou no brio. Não é biológico mas neste momento é o que a carteira permite.

  3. Ótima sugestão, confesso que não vou muitas vezes a estes mercados, mas só pelo preço das algas e do miso já parece valer a pena. O preço do miso por aí é mesmo revoltante, ainda mais biológico, ui ui!

  4. Tendo em conta os métodos de cultivo na China, sem qualquer controlo do uso de pesticidas e outras ainda piores (como produtos derivados de peixe e algas que crescem no meio dos níveis mais elevados de poluição do planeta), a mim é que não me apanham a comer produtos made in China :/

    1. Concordo plenamente consigo. Este post já é bem antigo, entretanto aprendi imensa coisa (aprende-se sempre) e não o teria nunca escrito se fosse hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*