IMG_2290

Ora cá vai a primeira sugestão para presente de Natal! Confesso que eu ficaria satisfeitíssima se me oferecessem uma trufas de cacau caseirinhas, em vez da caixa típica de Mon Chéri (apesar disso, querido Pai Natal, agradecia que aceitasses estas sugestões de presentes que, assim de repente, me parecem tão boas quanto as trufas:

  • http://www.sapatoverde.pt/product/urbal-milady (estas botas são a minha perdição. Para agora é difícil, botas de salto agulha com um barrigão de grávida gigante torna-se complicado, mas quero muito ser Vamp um dia);
  • https://www.facebook.com/mint.lab.5 – estas malas da Mint. Preciso muito, Pai Natal.

Estas trufas são super fáceis de fazer, basta ter um processador. Recentemente iniciei-me nisto da comida crua e nas receitas cruas e comecei a fazer barritas e bolinhas de frutos secos para o meu lanche – dão imensa energia! Claro que pedi ajuda à Catarina do https://theextraintheordinary.wordpress.com, que não só é uma amiga que eu adoro como é super expert em comida crua. Passámos uma bela de uma tarde a triturar ingredientes e eu fiquei com imensa vontade de testar combinações de sabores. Saíram estas trufas com todos os frutos que eu tinha na despensa. Se não tiver todos basta aumentar a quantidade de outro (por exemplo, se não tiver ameixas pode juntar mais passas e alperces, ou pode simplesmente omitir).

Convém sempre que os frutos secos sofram um choque antes de serem comidos, para não serem indigestos. Normalmente demolhá-los 8 horas é a solução. Isso faz com que se retire todos os anti-nutrientes e anti-enzimas que fazem com que os frutos secos possam ser indigestos, despareçam – o processo é igual ao das leguminosas. No caso de não ter muito tempo, assá-los pode ser uma solução. Não é tão eficaz, mas ajuda a torná-los mais digeríveis e ficam muito mais saborosos.

No início queria mesmo fazer umas trufas cruas, simplesmente. Mas o sabor das avelãs tostadas faz tanta diferença, e depois de as provar achei que era impossível não as cobrir de chocolate. Usei um chocolate cru que derreti em banho-maria para as envolver. Mas pode não fazer a cobertura de chocolate nem assar as avelãs, se quiser manter tudo cru.

Se quiser oferecer no Natal basta embrulhá-las num papel transparente e bonito e pô-las num frasco. Fica um presente rápido, barato e muito bom!

Pode guardá-las no frigorífico durante alguns meses (3 meses ou mais, suponho). As minhas não duraram nem 3 dias 🙂

 

IMG_2293

Para 15 bolinhas, mais coisa menos coisa

  • 1 chávena/xícara de avelãs tostadas (coloque-as no tabuleiro do forno a 200ºC durante 10mn)
  • ½ chávena/xícara de passas
  • ¼ chávena/xícara de alperces secos
  • ¼ chávena/xícara de ameixas secas
  • 1 colher de sopa bem cheia de alfarroba
  • 80 gr de chocolate em barra (usei da marca The Raw Chocolate Company)

Coloque todos os ingredientes no processador ou na picadora e pulse até estar uma pasta granulada fácil de moldar. Se for necessário triture primeiro e as avelãs e só depois junte o resto dos ingredientes.

Forme bolinhas com as mãos.

Derreta o chocolate em banho-maria.

Passe cada bolinha pelo chocolate derretido, com a ajuda de um garfo, e leve ao frigorífico para arrefecer.

Sirva fresco e delicie-se!

 

IMG_2289

4 comments

  1. Uma vez tentei fazer uns queques de alfarroba e cacau (aliás, chocolate porque naquela altura ainda não era vegan) e detestei a combinação. Ora que é alfarroba ora que é chocolate. Mas fiquei sempre com a ideia desta combinação apesar de nunca mais ter tido coragem de repetir.
    Agora olho para esta receita e penso.. “OH MEU DEUS! Vou ter mesmo de experimentar!!” 😀

    Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*