Preparar comida é muito mais barato e muito melhor para a sua saúde do que comprá-la já feita. Por exemplo, o feijão enlatado custa 3 ou 4 vezes mais do que cozinhar o feijão seco. Não apenas estará a poupar como terá a certeza de que aquilo que está a comer não contém conservantes nem o sódio (sal) extra que os enlatados costumam ter (para além de, pelo caminho, já terem perdido o seu valor nutricional).
E se tiver que escolher um enlatado, prefira os que vêm num frasco porque são mais saudáveis do que os que vêm nas latas.
No fundo, quando mais conseguir fazer através da sua cozinha mais barato fica. Para além disso vai fazer muito menos lixo e o seu corpo vai agradecer!
Aqui vão as dicas:
COMPRE LEGUMINOSAS AO KILO
Em vários supermercados, feiras semanais e lojas de produtos biológicos consegue encontrar grãos, sementes e leguminosas ao kilo. Esta é a melhor opção para quem quer poupar e comer melhor. Pode conservar as leguminosas secas num local seco durante 6 meses.
COMO COZER LEGUMINOSAS
Antes de cozer qualquer leguminosa é necessário demolhá-la durante, pelo menos, 8 horas. Isto significa que devem ficar de molho, com o triplo ou quádruplo do seu volume em água. Lave-as bem depois de demolhar e veja se não trazem pedrinhas ou outros detritos.
Depois de terem ficado este tempo na água, coloque-as numa panela de água fria, ligue o lume e deixe-as cozer até ficarem tenras. Junte o sal (se usar) só no final.
PORQUÊ DEMOLHAR AS LEGUMINOSAS?
As leguminosas, assim como as sementes e os frutos secos, são plantas (ou mesmo árvores) em potência. Enquanto estão “secos”, estão adormecidos (este estado chama-se mesmo “adormecimento). Quando os colocamos de molho, estamos a aproximá-las das condições naturais. Elas acham que estão na terra, choveu, e podem germinar. Termina o adormecimento, a energia que eles têm dentro deles (capaz de fazer germinar uma árvore!) acorda.
Quando estão num estado de adormecimento, as leguminosas têm inibidores de enzimas, que fazem com que seja muito indigesto para nós comermo-las. Ficamos com gases, temos uma digestão super lenta, e essas “anti-enzimas” fazem com que não consigamos absorver da maneira certa todos os nutrientes.
Quando demolhamos, essas anti-enzimas desaparecem. Todos os nutrientes são absorvidos pelo nosso corpo de maneira óptima. E já não provocam gases. Sim, essa parte também é importante J.
Se, mesmo assim, achar que as leguminosas lhe dão gases junte um pedacinho de alga Kombu quando cozer (prática comum da cozinha macrobiótica para tornar as leguminosas mais digeríveis e mais macias).
A digestibilidade das leguminosas é muito melhor se não as comer com carne e/ou peixe, e se as comer associadas com um cereal. As leguminosas são ricas em aminoácidos, e o casamento cereal+leguminosa são uma fonte proteica perfeita (e rica em aminoácidos). É a chamada “proteína completa”. Se as comer com um alimento rico em Vitamina C (como a laranja) vai optimizar a absorção de ferro, presente nas leguminosas. Pois, é isso: a combinação de feijoada à brasileira com arroz e laranja não é ao acaso!

Mas não precisa de pensar todos os dias “ai, vou comer feijão mas não tenho laranja, então não vou fazer uma absorção óptima do ferro, então é melhor nem comer”… Não. Coma e pronto. De qualquer maneira só lhe vai fazer bem!

MAS EU NÃO TENHO PANELA DE PRESSÃO
Nem eu. Eu vos-vos dizer como faço, pode ser que vos inspire:
À noite ponho as leguminosas a demolhar. Este processo demora 1 mn, não tem nada de especial: deito as leguminosas numa taça grande, cubro-as com água e vou à minha vida. Já está.
De manhã escorro a água, ponho-as numa panela normal com água e, enquanto tomo o pequeno-almoço/café da manhã, tomo banho, visto-me (nesta parte sou super rápida) e vou passear os cães, já está pronto. Convém ir olhando para a panela de vez em quando para verificar se já estão cozidos e para a água não evaporar. Mas esta parte não dá trabalho nenhum, eles cozem sozinhos.
Escorro e deixo-os arrefecer. Se não os usar no próprio dia congelo em caixinhas ou saquinhos individuais. É mais fácil usar saquinhos com porções individuais porque, se congelar tudo junto, depois de estarem congelados vai ser difícil separar uma porção. A não ser que seja o Hulk e consiga partir gelo facilmente.
Normalmente cozo uma quantidade grande (o máximo que couber na panela!) para ter sempre à mão no congelador.
Outra hipótese: pôr a demolhar de manhã e quando voltar ao final da tarde põe tudo a cozer enquanto faz o jantar. Easy-peazy!
Não sei se vocês já fazem isto mas eu comecei há pouco tempo e cozer as minhas leguminosas (e ter um stock de leguminosas secas na despensa) faz-me sentir super bem. Tenho uma sempre uma sensação de liberdade e auto-suficiência que é mesmo agradável. E já se tornou um hábito. Se ainda não faz isso, experimente, vai-se sentir bem! E, de qualquer maneira, as leguminosas cozidas assim têm um sabor TÃO melhor do que as enlatadas!!!
TEMPOS DE COZEDURA
(tem sempre de demolhar no mínimo durante 8 horas)
Ervilha seca
Com casca -Demolhar durante a noite. Coze em 60 minutos.
Sem casca – Demolhar durante a noite. Coze em 15-20 minutos.
Fava seca
Coze em 90 minutos.
Feijão azuki
Coze em 35-40 minutos.
Feijão branco
Coze em 40-50 minutos.
Feijão encarnado
Coze em 45-50 minutos.
Feijão frade
Coze em 45-50 minutos.
Feijão manteiga
Coze em 45-60 minutos.
Feijão mungo
Coze em 35-40 minutos.
Feijão catarino
Coze em 45-60 minutos.
Feijão preto
Coze em 50-60 minutos.
Grão de bico
Coze em 60-90 minutos.
Grão de soja
Coze em 120-180 minutos.
Lentilha vulgar
Coze em 15 minutos.
Lentilha escura
Coze em 25-30 minutos.
Lentilha coral (descascada)
Não necessita de demolho.
Coze em 15-20 minutos.
Fonte: http://www.vivasaudavel.pt/gca/index.php?id=32#sthash.zc93S5yq.dpuf

Experimente e não voltará a comprar uma lata na vida!
Total
163
Shares

28 comments

  1. Uso muito latas de feijão e grão porque quando tentei usar os secos, ficaram sempre duros… mesmo depois de demolhar durante a noite, mesmo depois de cozer durante uma hora e meia, mesmo assim o grão ficou duro. A mesma coisa com o chícharo e o feijão vermelho. Não sei porque é que isto aconteceu, mas fez-me perder a vontade de usar os secos. Só as lentilhas é que uso sempre secas. Talvez volte a tentar com este teu post, mas ao ler as tuas sugestões, foi exatamente o que fiz… fico indecisa, apesar de saber que as latas não são de facto o melhor.

    1. Olá , eu também tinha esse problema, o feijão e o grão de bico ficavam duros. O que devemos fazer é adicionar um pedacinho de bicarbonato de sódio no momento de cozinhá-los. Agora faço sempre isto e ficam macias. Espero ter ajudado.

  2. Com os cabazes do Prove têm vindo feijão e grão secos e favas frescas, ainda nas vagens. Adoro estar ali, à paciência, a tira as favas das vagens. É terapêutico e lembra-me tanto a minha infância. Muito melhor que pegar num saco congelado e trazer para casa!
    E o sabor… Muitooooo melhor!
    Beijinho

  3. Faço tudo como dizes 🙂 O meu congelador fica cheio com tantas caixas de leguminosas que lá tenho, mas tenho sempre alguma lata de reserva para imprevistos. Essa dica do sal é super importante, aprendi da pior maneira, quando as minhas lentilhas vermelhas demoraram quase 1h a ficar cozinhadas :S
    Quando cozo feijão preto ou lentilhas verdes gosto de adicionar à agua 1 folha de louro e 1 ou 2 dentes de alho esmagados. Fica tão bom 🙂

    beijinho

  4. E uma tira de alga kombu para ajudar na digestão? É fabuloso, e evita o problema que muitas pessoas dizem encontrar nas leguminosas…os gases 😉

    Abraço!

    **rita

  5. Wow adorei a dica da alga e vou experimentar!! Eu vivo no Brasil (apesar de Lisboeta de gema) em SP e como aqui a diferença de preço é abismal já há algum tempo que tenho cozido especialmente feijão em casa! Comprei uma panela de pressão que é minha melhor amiga 🙂 Só que eu li num blog (não vegano) que se podia cozer o feijão sem sal mas com uma cebola e uns dentes de alho e fica MARAVILHOSO! Depois eu sempre utilizo este caldo para fazer outros pratos (sopa de feijão, baião de dois, feijão tropeiro!) e uso a cebola também que nesta altura tá quase desfeita fica perfeito! Engraçado que perguntei a imensas mulheres (até á sogra!) como cozer o feijão mas nenhuma me disse o truque da cebola! Encontrei num blog americano! Já agora, adoro o teu blog! 🙂

    1. Agata, que dica óptima, vou experimentar! Já experimentou comprar a alga na Liberdade? Creio que é mais barata do que nas lojas de produtos naturais. Que saudades tenho de São Paulo! Obrigada pela dica e pelo comentário tão gentil! <3

  6. Também uso as leguminosas secas sempre que posso! Algumas vezes quando estava a trabalhar, confesso que tinha frascos com várias qualidades de feijão, grão etc. na despensa, embora seja um hábito, que se pode alterar com alguma organização. Em ralação ao feijão ficar duro, tem a ver também com a sua duração. Se for feijão novo, (desse ano…) coze mais rápido que feijão mais antigo (de um ano ou dois…); e o sal deve ser sempre adicionado no fim como foi referido. Boas e saborosas refeições.

  7. Só uma correcção, não escorram a água da cozedura! Entre uma ou outra incorrecção sem importância, esta é grave porque se perdem nutrientes. Para além disso, no caso do feijão, perde-se o sabor que está na água da cozedura. É só mais um conselho. Fiquem bem.

    1. Não concordo, mas agradeço o seu comentário. Na água fica o ácido fítico, gases, anti-nutrientes e inibidos de enzimas. É fundamental não ingerir a agua, que, aliás, está cheia de espuma da fermentação dos gases e e indigesta.

  8. Por vezes acontece-me demolhar as leguminosas e depois acabo por não fazer logo o prato que tinha pensado (por exemplo lentilhas com batata doce, cujas lentilhas cozem juntamente com a batata-doce, e por isso, quando as demolho são à conta para a receita). Como devo fazer quando tenho leguminosas demolhadas e depois não as utilizo de seguida nem as quero cozer? Tiro a água e guardo no frigorífico até o dia seguinte? Ou começarão logo a germinar? Obrigada!!

  9. E cozer feijão catarino escorrer a agua e deixar no frigorifico para cozinhar no dia seguinte SEM O TER CONGELADO. Devo dar-lhes uma fervura com um dente de alho e meia cebola, escorrer e servir com arroz e sumo de laranja? Quem sugere outras dicas para acompanhar o feijão catarino que não seja arroz para variar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*