Quando o frio começa a vir, eu hiberno. Faço coisas, trabalho, cozinho, ando por aí, mas, na verdade, estou em estado de hibernação, num casulo de camisolas e de casacos. Até a Primavera chegar e eu me começar a ver livre da roupa quente.
Apesar disso, acho o Outono muito poético. As folhas pintam-se todas e cobrem as ruas com um tapete fofinho. Comem-se castanhas, acende-se a lareira, o sol nasce cor-de-rosa e os campos acordam cobertos de neblina. Por estas bandas fica tudo assim:
 
 
Nabiças

Couve portuguesa

Espinafres

Couve lombarda

Plátanos

Magusto!

Couves lombarda e portuguesa

Um cogumelo

Medronheiro

Medronhos

Diospiros

Castanheiros

Uma sebe natalícia

Les triplettes

Subscreva a newsletter

Receba todas as novidades do blog no seu email.

Ao marcar essa caixa, você confirma que leu e concorda com os nossos termos de uso em relação ao armazenamento dos dados enviados por meio deste formulário.

2 comentários

Responder a Maria de Oliveira Dias Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*