Hoje é Dia de S. Martinho, e, diz o povo, deve haver castanhas, pão e vinho. Este prato tem os três (se considerarmos que o seitan é pão), por isso este ano temos um S. Martinho a rigor!
 
E agora vocês vão olhar para a fotografia e vão pensar… humm… está com uma certa falta de luz. Sim, não tenho Photoshop e não sei tirar fotografias sem a luz do sol, e as nuvens de hoje não me deram tréguas… E depois vão dizer “mas essas castanhas estão um bocado esmagadas”…  Pois. Eu sei. As danadas não se queriam despir. Depois de meia hora de falinhas mansas tive de usar a violência, não me deram outra hipótese. Mas quando provarem é que vai ser. Porque este prato até o S. Martinho o ia querer devorar. E tornar-se-ia vegano logo ali.

 

 
Receita muito generosa para 2 pessoas
500 g de seitan cortado às fatias finas

¼ de chávena/xícara de vinho branco

1 colher de sopa de pimentão-doce

1 pitada de piri-piri em pó

1 folha de louro

3 dentes de alho às fatias

Sal marinho

1 couve coração média cortada em juliana fina

20 castanhas com um golpe

 

Tempere o seitan com o vinho, o pimentão, o piri-piri, a folha de louro, o alho e o sal marinho. Deixe marinar 1 hora ou 1 noite.
 
Coloque água com um pouco de sal marinho a aquecer e, quando estiver a ferver, coza as castanhas durante 7 a 10 mn (o tempo depende do tamanho das castanhas. Devem estar tenras mas não a desfazerem-se). Quando estiverem prontas, escorra-as e descasque-as assim que arrefecerem e as consiga manusear.
 
Numa frigideira grande, salteie a couve rapidamente em lume alto, num fio de azeite e com uma pitada de sal.
 
Quando a couve estiver pronta, retire-a da frigideira e salteie o seitan sem a marinada, até estar bem dourado de ambos os lados. Junte a marinada e deixe o seitan absorvê-la.
 
Junte as castanhas e deixe-as dourar ligeiramente (2mn). Adicione a couve e misture bem (sem esmagar as castanhas).
 
Sirva quente com um copo de bom vinho a acompanhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*